O EIRPG não vai acontecer este ano, então eu pensei em fazer um tipo de retrospectica Video Show que acontece quando alguns artistas morrem. O quanto o EIRPG foi importante, ou não para mim.

Eu comecei a jogar RPG um pouco tarde comparado com o pessoal eu conheço. 15 anos foi minha primeira experiencia RPGistica e no ano seguinte, se a memória não falha, tomei conhecimento da revista Dragão Brasil. Foi o meu primeiro contato com o que poderia ser chamado de comunidade de RPG.

Neste ano comecei a acompanhar a DB com ajuda do meu grupo. Faziamos vaquinha para comprar a revista, que era nosso único “suplemento” de RPG, já que jogavamos, e até hoje jogamos, o antigo 3D&T capa vermelha. Por meio da revista vi o anúncio do que seria o XI Encontro Internacional de RPG. Eu fiquei extasiado. Existia um encontro de RPG, e era um encontro internacional juntei as economias, os amigos e pegamos carona para o evento.

As pessoas que pegaram o evento na época do Ibirapuera podem pensar que ele perdeu um pouco do glamour no Mart Center, mas eu lembro que quando eu vi a grande fila para entrar e o tamanho do lugar eu fiquei muito impressionado. Meu conhecimentos de RPG eram muito pequenos na época, nas verdade eu os considero os conhecimentos de um jogador normal de RPG e não um “ativista”do hobby que é o que você encontra hoje na net, então eu fiquei espantado com a quantidade de titulos de RPG disponiveis em portugues e alucinado quando eu vi a quantidade de titulos em ingles.

Como um grupo de amigos, fomos nas famosas listinhas procurar jogos na parte da manhã, acabamos sentando em uma mesa para descansar onde um cara muito estranho mestrou um jogo muito ruim para nós. O jogo eu descobriria depois ser Trevas e o Mestre ridiculamente ruim eu descobriria ser um ativista da Daemon. 

Continuei a passear e na parte da tarde eu joguei a melhor partida de RPG em um econtro na minha vida. Não me lembro o nome do cara, mas ele era criador de um sistema/mundo de RPG chamado Caliope. Tenho um adesivo deste jogo até hoje.

Pora causa do EIRPG eu comecei a procurar cada vez mais sobre RPG na internet [ na época via quiosques gratuitos no SENAC Penha :D], acabei descobrindo o Fó-Rum da Daemon, onde fiz grandes amigos, e virei arroz-de-festa de encontro. Indo no Sampa RPG e um encontro na FATEC e em alguns encontros pequenos e regionais aqui de Sampa, principalmente os realizados na Gibiteca Henfil.

O EIRPG foi a primeira demonstração para mim que existiam pessoas reais, fora do meu grupo que jogavam RPG, e que elas nem sempre era malucas foda e sim muitas vezes eram caras normais que gostavam de rolar dados por aí. Fiquei algum tempo afastado do RPG, e neste tempo fiquei sem ir no EIRPG, por isto não conheci sua encarnação no Arquidiocesano. Agora que não teremos ele este ano, que eu fico pensando que deveria ter ido nos anos anteriores pelo menos para encontrar o povo que conheço da net. Me impressiona o fato que um evento na qual eu fui apenas em duas edições me fez ficar tão intrigado com a comunidade de RPG a ponto de correr atrás e me juntar a ela. Só por isto eu devo agradecer ao EIRPG e a outros eventos de menor porte.

Obrigado por eu saber que RPGistas de carne e osso existem.

Anúncios