You are currently browsing the tag archive for the ‘DC’ tag.

Tava viajando na internet quando me deparei com o surpreendente trailer do desenho do Batman Ano Um que será lançado. Se você não sabe o que é Batman Ano Um peço para que você arrume a sua vida clicando neste link.

Depois de ler a HQ você volta aqui.

Leu? Agora podemos continuar.

A HQ foi escrita por Frank Miller antes de ficar maluco e fazer coisas como esta e a DC vai lançar um filme que parece que terá um clima muito fiel a HQ. Fiquei animadaço depois de ver os vídeos:

WOW! O pessoal do MDM fez uma comparação entre a cena acima e as páginas da HQ. Vale a pena conferir.

Batman Ano Um será lançado dia 18/10 e você pode conseguir mais informações no site do filme.

Enquanto isto nos desenhos da Marvel:

Detalhe para o Thor e o Surfista Prateado!

 

Anúncios

A revista Action Comics é a mais tradicional revistas de quadrinhos de superheróis dos Estados Unidos, com mais de 900 edições, e junto com a Detective Comics é a revista mais importante da DC. A revista é historicamente ligada ao Superman, sendo em sua primeira edição a estréia do maior superherói de todos os tempos. Nada mais óbvio do que ela ser escolhida como a revista que nos mostrará como será o novo Universo DC, e o papel do Super nesta bagunça.

Esta Action Comics #1 pós-reboot mostra que será uma das pedras fundamentais da DC para recontar o gigantesco quebra -cabeça que é o novo Multiverso, para isto, assim como a Liga da Justiça, a revista conta a história no passado da cronologia atual ,mostrando as primeiras atuações do Super em Metropolis. Foi dito em algumas entrevistas que neste novo Universo DC, o Super será apresentado como o primeiro superherói a surgir, embora isto levante muitas perguntas, isto explica muito o evidente despreparo governamental em Metropólis em lidar com as questão do Superman voando por aí e , pasmem, tentando mudar o mundo.

Saindo um pouco do lugar comum a revista não se propõe a recontar a origem do herói mais conhecido do planeta e sim de contar um história muito dinâmica e repleta de ação com um Superman bem diferente do que estamos acostumados. Morrison nos mostra um Super jovem e muito atuante em sua comunidade, com um papel mais ativo na defesa da população de Metrópolis e com um senso de igualdade social que vai fazer muitos torcerem o nariz. É um Super que quebra leis e tenta fazer justiça com as próprias mãos, porém você consegue perceber que ele ainda é aquele Superman que luta por um bem maior e que tem um senso de moral bem definido.

É óbvio que é um personagem repaginado para “tempos mais modernos”, não com a hyperviolência caracteristica de “atualizações” de personagem, mas há uma clara influência de Smallville nesta Action Comics, com um personagem jovem, descobrindo seus poderes e por isto um personagem menos deidade e mais humano.

Como mostrado na Liga da Justiça #1, existe um atrito claro entre as forças policiais e os super-heróis, a revista mostra que os supers serão muito mais bem-vistos pela população do que pelos governantes. Tanto que o principal inimigo desta edição é o exército tentando prender o Superman com a ajuda do seu nemesis habitual Lex Luthor.

É mostrado um Clark Kent suburbano com dívidas para pagar que é muito parecido com o ideal Peter Parker, um jovem que tem grandes poderes e muitas responsabilidades mas que, aparentemente, não tira proveito próprio delas. Clark Kent esta até com o aluguel atrasado e tendo que trabalhar para um concorrente do Planeta Diário para poder sobreviver em Metropólis.

Action Comics #1 é uma revista que causará muita estranheza para quem já é um leitor ou que tem um conhecimento minimo do Super, mas é uma ótima revista. Divertidissíma e repleta de ação, sem chegar a ser massa véio,  nos apresenta um Superman muito diferente do que estamos acostumados, inclusive com um uniforme estranhissímo mas que por mim se tornaria o oficial.

É certamente a revista indicada para quem deseja retornar aos quadrinhos e só promete melhorar nas próximas edições.

Um 6 de 6 garantido.

Se você curte quadrinhos deve saber que a DC Comics esta fazendo um reboot de sua cronologia oficial, zerando alguns números de revistas e meio que começando de novo o universo. Tudo isto com o intuito de conquistar novos leitores. Se você não tem o hábito de ler quadrinhos de super-heróis agora é uma boa hora de começar  a ler quadrinhos novamente.

Neste momento já foram lançadas aproximadamente 10 títulos do reboot. Dois deles, Liga da Justiça e Action Comics contarão as histórias do passado dos super-heróis nesta nova cornologia. Como o primeiro lançamento foi a Liga da Justiça, iremos falar dela hoje. Após eu ler as outras revistas desta nova linha (que será formada por 52 revistas) eu vou postando as resenhas por aqui.

Como esta revista ainda não esta disponivel de forma legal em portugues do Brasil utilizei o app do iPad da DC para comprar a revista e le-la, recomendo o aplicativo. Se você lê em inglês e tem o iPad é uma boa forma de se atualizar com as revistas já que elas irão sair simultaneamente nas bancas e na forma digital. O lado ruim é que o preço da versão digital será o mesmo da versão das bancas 3,99.

O ínicio da revista já a apresenta como um passado do universo DC dizendo que “havia um tempo no qual o mundo não sabia o que era um super-herói”, no decorrer da revista será demonstrado que realmente a humanidade não esta acostumada com a presença dos supers, tratando-os com hostilidade. Os acontecimentos desta revista acontecem 5 anos antes de todas as outras. Sim, será uma festa da uva acompanhar esta nova cronologia.

No ínicio vemos o Batman sendo perseguido pelo que parece ser uma força-tarefa de Gotham, o que eles não sabem é que o morcegoso esta perseguindo um monstro. Vem uma porradaria e chega o Lanterna para salva o Batimá, obviamente os dois não se conhecem, o Lanterna chega a dizer para o Batman que esta surpreso em saber que ele existe, fica implicito aqui que eles tentarão explorar nas revistas a questão do Batman ser muito mais um mito do que uma força presente e totalmente confiável em Gotham City.

Gostei do desenvolvimento dos personagens. O Hal Jordan esta bem… Hal Jordan, enquanto o Batman esta bem caracterizado como o cruzado sombrio. Principalmente quando manda o Lanterna cair fora já que Gotham é a área dele.

O título, sendo uma porta de entrada para novos leitores, se preocupa bastante em reapresentar os personagens, porém isto não é forçado. Os dialogos parecem ser naturais (bem, naturais para uma revista de super-heróis) e a relação entre o Lanterna e o Batman é o divertidissímo ponto alto da revista. Eu me vi em vários momentos dando risada das conversas dos dois e como algo positivo digo que isto me lembrou muito o maravilhoso desenho da Liga da Justiça. Principalmente na sequencia aonde o Lanterna questiona o Batman quais são os poderes dele.

Por fim, após alcançarem o monstrengo dentro dos esgotos de Gotham eles decidem ir atrás do Super-Homem. Neste meio tempo a revista trata de mostrar um pouco da história do personagem mais desconhecido que fará parte desta versão da Liga da Justiça, Victor Stone, o Ciborgue. Interessante como em poucos quadrinhos Geoff Johns consegue mostrar que a relação deste com o seu pai é atribulada, espero que ela seja desenvolvida melhor nas próximas revistas.

Por fim ambos os heróis encontram o Super de uma forma, er… atribulada.

Liga da Justiça #1 não é uma revista genial, mas esta longe de ser uma revista ruim. Ela trouxe um ar de frescor e aventura que há algum tempo eu não via nos quadrinhos da DC. Parece que será um título mais voltado a aventura do que uma tentativa de quadrinhos sérios e eu gosto disto. Como eu disse anteriormente, a revista me lembrou, neste primeiro momento, o ínicio de um episódio do desenho animado, o que eu acho bem legal.

Os desenhos são muito legais, fora a o quadrinho onde o Batman aparece sem as pernas, não tenho nenhuma crítica a fazer. Os construtos e os poderes do Lanterna Verde estão muito brilhantes, reforçando a idéia de luz e fazendo um contraste bacana com as sombras de Gotham.

Por fim,  recomendo a leitura de LJA#1 dando um 4 de 6, e espero pela próxima edição.

 

 

Ah! O Ennies! O oscar do RPG. Faz alguns anos que o pessoal da Lista de Blogs de RPG tem tentado fazer algo parecido. Seria bem interessante e legal! Mas divago.

O Ennies é o maior premio de  RPG de todo o universo. Ele é bem famoso, embora seja bem mais novo do que o Origins. 

A lista de indicados ao prêmio foi anunciada. Se você gosta de saber se o seu RPG favorito foi indicado, veja abaixo.

Os vencedores do ENnies são divulgados em uma cerimonia que acontecerá dia 5 de Agosto.

Melhor Aventura

Melhor Acessório:

Melhor Arte de Capa

Melhor Arte Interior

Melhor Blog

Melhor Cartografia

Melhor Livro Eletrônico

Melhor Produto Gratuito

Melhor Jogo

Melhor Miniatura (Produto)

Melhor Monstro/Adversário

Melhor Jogo Novo (Publicado pela primeira vez)

Melhor Podcast

Melhor Produção

Melhor Produto Relacionado com RPG

Melhores Regras

Melhor Cenário

Melhor Suplemento

Melhor Site

Melhor Escrita

Produto do Ano

Se você é curioso sobre como é a cerimonia do evento. Você pode assistir abaixo a de 2010:

Categorias

Acertos Criticos

  • 51,604 D6

Páginas