You are currently browsing the tag archive for the ‘Downloads’ tag.

Tava viajando na internet quando me deparei com o surpreendente trailer do desenho do Batman Ano Um que será lançado. Se você não sabe o que é Batman Ano Um peço para que você arrume a sua vida clicando neste link.

Depois de ler a HQ você volta aqui.

Leu? Agora podemos continuar.

A HQ foi escrita por Frank Miller antes de ficar maluco e fazer coisas como esta e a DC vai lançar um filme que parece que terá um clima muito fiel a HQ. Fiquei animadaço depois de ver os vídeos:

WOW! O pessoal do MDM fez uma comparação entre a cena acima e as páginas da HQ. Vale a pena conferir.

Batman Ano Um será lançado dia 18/10 e você pode conseguir mais informações no site do filme.

Enquanto isto nos desenhos da Marvel:

Detalhe para o Thor e o Surfista Prateado!

 

Anúncios

A RPGNow provavelmente foi a responsável por iniciar de vez a era dos .pdfs no mercado de RPG americano e consequentemente a responsavel por revolucionar o modo de produção dos jogos de RPG. Ela, em conjunto com a Licença OGL, foram as maiores responsáveis pela explosão de micro editoras que tivemos nos anos 20xx.

Mas o motivo deste post não é para babar o ovo da RPGNow, pois a única Loja de .pdf da qual eu posso puxar o saco é a RedStore (KÁ-CHIN). E sim mostrar a interessante ferramenta que o site montou permmitindo que você gere uma lista de RPGs mais vendidos por ano!

E como todos vocês sabem, se tem uma coisa que errepegistas gostam é de listas.

Clicando neste link você poderá selecionar por ano as listas desenvolvidas pelo site, aqui vão algumas curiosidades que eu achei por lá:

  • Em 2001 TODOS os títulos do top 10 são ligados a OGL
  • Em 2002 o top 10 ainda é dominado por títulos OGL, mas a sensação foram os livros de Monte Cook e da EN Publishing ( do site EN World)
  • Em 2003, a lista  é dominada pelos títulos da Malhavoc Press, a editora do Monte Cook. Um destaque desta lista é o Diamond Throne, cenário criado pelo Monte para o Arcana Envolved
  • Em 2004 temos em primeiro e segundo lugar os dois produtos mais vendidos no RPGNow. O primeiro é um bundle com as SRDs 3,5 (o que é muito esperto) e um livro de 400 páginas (!) com armas de Ficção Cientifica para OGL.
  • Em 2005 a Green Ronin explode a lista com a série Advanced nas três primeiras colocações, Blue Rose ( um dos RPGs mais incopreendidos de todos os tempos) na 4ª , Freedom City na 7ª e True20 na 9ª. Um RPG que a galera não conhece mas eu gosto muito é o Truth and Justice que aparece na 10ª.
  • Em 2006 a Green Ronin mostra porque domina o mundo OGL com 5 títulos na lista, sendo 4 de M&M.
  • Em 2007 tem bastante coisas interessantes na lista. Temos o cenário megalomaníaco de Monte Cook, Ptolus na 7ª posição (BTW, você pode comprar uma versão impressa do livro por apenas 150$), uma das coisas mais bizarras já feitas, o Monte Cook World Of Darkness na 6ª posição, o clássico Witchcraft em 2º e outro livro com o sistema PDQ, o The Zorcerer of Zo em 9º
  • Pelo segundo ano consecutivo este produto é o mais vendido, além disto em 2008 temos mais Monte Cook.
  • Em 2009 temos de interessante em 1º A Song of Ice and Fire, e o FantasyCraft em 7º
  • Ano passado temos um foco indie na lista com Diaspora em 3º, ICONS em 8º e Legends of Anglerre em 9º. Isto mesmo 3 produtos com FATE e mais interessante são os três ÚNICOS RPGs na lista. O restante é dominado por props e ferramentas para o Mestre.
  • E até agora em 2011 temos a Green Ronin com o DC Adventures e o M&M 3ª edição, o Savage Worlds Deluxe e o The One Ring, estes dois últimos lançados a apenas 3 meses atrás!
A lista mostra uma perspectiva histórica do perfil RPGista americano, desde o BOOM do OGL até a onda mais atual com sistemas mais diversificados e ferramentas para o mestre. Sem dúvidas vale dar uma olhada pela curiosidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu tenho um sério problema. Prefiro muito mais os RPGs subterrâneos do que os mais jogados pela galera que pesa mais de 100 quilos. Isto causa uma séria distorção do meu campo de prioridades errepegisticas, por exemplo, faz com que eu cague para o fato do Monte Cook estar voltando para Wizards of The Coast (boto gerundismo mesmo. Só Deus pode me julgar) e ache foda o RPG Genesis ter uma porrada de RPGs escritos. Não que um exclua o outro, mas a questã é o nível de importância que eu dou para cada um. O que causa uma distorção no que eu posto atualmente por aqui, não tô mais no hype de postar qualquer notícia que apareça e comenta-la com sarcasmo, gracejo e com o nível mediano de mongolice típicos dos meus textos. Só coisa que eu acho “da hora, mano” que vai aparecer por aqui.

Por isto falando em coisas “da hora, mano” e fazendo justiça ao título do post vou falar um pouco sobre alimentar o seu desejo por RPGS sem gastar um tostão furado!

A primeira dica é enfrentar com cara e coragem o gigantesco estoque do 1KM1KT, um site que é um repositório gigantesco de RPGs gratuitos. E quando eu digo gigantesco não estou fazendo uma hipérbole apenas para enriquecer este texto e você me achar mais charmoso. Não! O site realmente tem muitos RPGs Gratuitos.  Como ele é o repositório do 24 Hour RPG ( se você entrou neste post e não sabe o que estou falando seja brindado com um vídeo da Sheila Mello tomando banho) praticamente todos os concorrentes deste desafio estão no site. Obviamente isto não significa que somente RPGs curtos e com pouca profundidade estejam hospedados lá, temos por exemplo Snuff, Downloads Of Death que tem 44 páginas e me dá um medinho.

MAAAAAAAAAAAAAS se você não é fã de ficar garimpando em fóruns por RPGs que você não sabe  se são bons, então deveria acessar o recomendadissímo Free RPG Blog, um blog aonde o autor, Rob Lang, faz uma espécie de triagem dos inúmeros jogos enviados ao 1km1kt. Recomendo o post com alguns concorrentes ao desafio 24 Hour RPG com mash-ups.

Outra ótima fonte é a já tarimbada lojinha de .pdfs RPGNow. Clicando aqui você tem acesso a um número ilimitado de RPGs gratuitos para você empaturrar seu HD. Tem muito lixo ( MUITO), mas tem pérolas escondidas, como 44: A Game of Automatic Fear, jogo do mesmo autor de Dust Devils ( se você desconhece Dust Devils, receba uma foto minha de cuecas).

Se você lê apenas em português, as opções diminuem bastante, mas você ainda pode encontrar coisas bem interessantes na loja da Redbox ou se você é um hippie narrativista™  pode encontrar coisas bem interessantes no Garagem RPG e no Concurso de Criação de jogos da Secular Games

Acredito que com estes links você terá algumas horas de curtição e enquanto acha RPGs bem malucos

UPDATE: O Renato postou um link bem legal, com uma porrada de RPGs Gratuitos para você se deliciar

Se você curte quadrinhos deve saber que a DC Comics esta fazendo um reboot de sua cronologia oficial, zerando alguns números de revistas e meio que começando de novo o universo. Tudo isto com o intuito de conquistar novos leitores. Se você não tem o hábito de ler quadrinhos de super-heróis agora é uma boa hora de começar  a ler quadrinhos novamente.

Neste momento já foram lançadas aproximadamente 10 títulos do reboot. Dois deles, Liga da Justiça e Action Comics contarão as histórias do passado dos super-heróis nesta nova cornologia. Como o primeiro lançamento foi a Liga da Justiça, iremos falar dela hoje. Após eu ler as outras revistas desta nova linha (que será formada por 52 revistas) eu vou postando as resenhas por aqui.

Como esta revista ainda não esta disponivel de forma legal em portugues do Brasil utilizei o app do iPad da DC para comprar a revista e le-la, recomendo o aplicativo. Se você lê em inglês e tem o iPad é uma boa forma de se atualizar com as revistas já que elas irão sair simultaneamente nas bancas e na forma digital. O lado ruim é que o preço da versão digital será o mesmo da versão das bancas 3,99.

O ínicio da revista já a apresenta como um passado do universo DC dizendo que “havia um tempo no qual o mundo não sabia o que era um super-herói”, no decorrer da revista será demonstrado que realmente a humanidade não esta acostumada com a presença dos supers, tratando-os com hostilidade. Os acontecimentos desta revista acontecem 5 anos antes de todas as outras. Sim, será uma festa da uva acompanhar esta nova cronologia.

No ínicio vemos o Batman sendo perseguido pelo que parece ser uma força-tarefa de Gotham, o que eles não sabem é que o morcegoso esta perseguindo um monstro. Vem uma porradaria e chega o Lanterna para salva o Batimá, obviamente os dois não se conhecem, o Lanterna chega a dizer para o Batman que esta surpreso em saber que ele existe, fica implicito aqui que eles tentarão explorar nas revistas a questão do Batman ser muito mais um mito do que uma força presente e totalmente confiável em Gotham City.

Gostei do desenvolvimento dos personagens. O Hal Jordan esta bem… Hal Jordan, enquanto o Batman esta bem caracterizado como o cruzado sombrio. Principalmente quando manda o Lanterna cair fora já que Gotham é a área dele.

O título, sendo uma porta de entrada para novos leitores, se preocupa bastante em reapresentar os personagens, porém isto não é forçado. Os dialogos parecem ser naturais (bem, naturais para uma revista de super-heróis) e a relação entre o Lanterna e o Batman é o divertidissímo ponto alto da revista. Eu me vi em vários momentos dando risada das conversas dos dois e como algo positivo digo que isto me lembrou muito o maravilhoso desenho da Liga da Justiça. Principalmente na sequencia aonde o Lanterna questiona o Batman quais são os poderes dele.

Por fim, após alcançarem o monstrengo dentro dos esgotos de Gotham eles decidem ir atrás do Super-Homem. Neste meio tempo a revista trata de mostrar um pouco da história do personagem mais desconhecido que fará parte desta versão da Liga da Justiça, Victor Stone, o Ciborgue. Interessante como em poucos quadrinhos Geoff Johns consegue mostrar que a relação deste com o seu pai é atribulada, espero que ela seja desenvolvida melhor nas próximas revistas.

Por fim ambos os heróis encontram o Super de uma forma, er… atribulada.

Liga da Justiça #1 não é uma revista genial, mas esta longe de ser uma revista ruim. Ela trouxe um ar de frescor e aventura que há algum tempo eu não via nos quadrinhos da DC. Parece que será um título mais voltado a aventura do que uma tentativa de quadrinhos sérios e eu gosto disto. Como eu disse anteriormente, a revista me lembrou, neste primeiro momento, o ínicio de um episódio do desenho animado, o que eu acho bem legal.

Os desenhos são muito legais, fora a o quadrinho onde o Batman aparece sem as pernas, não tenho nenhuma crítica a fazer. Os construtos e os poderes do Lanterna Verde estão muito brilhantes, reforçando a idéia de luz e fazendo um contraste bacana com as sombras de Gotham.

Por fim,  recomendo a leitura de LJA#1 dando um 4 de 6, e espero pela próxima edição.

 

 

Se você entrar no 42 (modo carinhoso de chamar o blog, só gatos usam assim) perceberá que o blog tem um subtítulo, Shingo is on Fire. O subtítulo é para demonstrar como eu levo minha vida como blogueiro, em um ritmo frenético de postagens. Porém se eu estou on fire (estamos com uma média pequena de 2 posts por dia :() a RetroPunk esta ON INFERNO

A editora que mal acabou de lançar Fiasco e anunciou que os deuses do RPG agraciaram-lhes com a benção da licença do Savage Worlds, acabou de anunciar (é mentira, mas finge que foi agora) que irá lançar mais dois RPGs indies, e pasmem, eles são brasileiros.

[Pausa dramática]

O primeiro será o Abismo do Medo Infinito. um RPG de horror espacial focado nas desilusões e no psicológico dos personagens. O jogo foi vencedor do concurso de Game Design promovido pela Secular Games
Peraí deixa eu pegar o resumo aqui… e pronto:

Uma pequena resenha: você é um dos seis tripulantes da Nave de Exploração Infra-Universal Prometheus-3 que partiu da Terra, no ano de 3362 d.C., em expedição a um planeta chamado Autoctonia, talvez o planeta mais próximo da Terra capaz de sustentar vida. A sua missão é descer até a superfície de Autoctonia, pesquisar, analisar e determinar se há alguma possibilidade de se fundar a primeira colônia de humanos fora da Terra e do nosso sistema solar. Com isso, nós, a raça humana, deixaríamos para trás a Terra a muito desgastada, super-populosa, poluída e cataclísmica, para morar em novo lugar, onde poderíamos desfrutar do ar puro e água natural que há muito tempos já não experimentamos.
Entretanto, a viagem não era tão simples, você teve que dormir por cerca de quatro anos enquanto a nave viajava em uma ponte de dobra infra-universal, cruzando uma distância gigantesca no espaço até finalmente estacionar na órbita de Autoctonia. E é justamente ai que os problemas começam. Quando você acordou dos longos anos de sono, a sua mente simplesmente não parou de sonhar
mesmo quando você não está dormindo. A realidade se tornou tão irracional, que às vezes é impossível manter a razão. Você se encontra perdido em uma trama de pesadelos lúcidos, manifestando monstros horrendos, frutos dos seus próprios medos particulares. Monstros esses que só querem te causar mal, te ferir e te matar. A única dúvida é que se o que está acontecendo é real, ou você simplesmente ainda não acordou.

Você pode conferir uma prévia de Abismo Infinito aqui no ótimo fórum de Game Design, Garagem RPG.

O segundo RPG anunciado é o Terra Devastada (também escrito por John Bogeá, o que me faz pensar se isto não é uma conspiração errepegistíca para a dominação mundial). Um RPG de apocaliptico de zumbis com um foco narrativo. Como eu sou bróder achei um link maneiro de um preview do jogo para vocês.

Aproveitando se você quiser saber um pouco mais sobre o jogo pode entrar no blog do jogo e no blog do autor

Agora vamos ver os previews:

Categorias

Acertos Criticos

  • 51,604 D6

Páginas